31 de dezembro de 2011

2 em 1: Retrospectiva 2011 e Metas para o próximo ano

Olá, pessoal! 
22:12 do último sábado do ano, ou melhor dizendo, último dia de 2011, e lá vem Maura escrever uma retrospectiva do ano de dois mil e onze. Missão impossível, talvez, nessa altura do campeonato. 
Enfim, como adoro relembrar o que passou... Tentarei listar as coisas boas que ocorreram, sabe, escrever algo bonito sobre o ano que ainda está aí, mas já passou. 
2011, bom, foi um ano digno de um palavrão, ah, vai lá, esse ano foi foda

2011 foi esse ano MARAVILHOSO, porque: 

Voltei para São Paulo, a cidade onde não existe amor há um ano. Morei em Guarulhos, nos primeiros meses após o retorno ao estado, mas, por adoração à Sampa, meu verdadeiro lar, voltei pra cá! 


Graças ao ProUni, entrei na faculdade e estou cursando Letras, licenciatura em Língua Portuguesa e Inglesa. Os dois primeiros semestres do curso que escolhi por pura influência de meus excelentes professores, foram excelentes, construtivos, cansativos, fodas... É claro que, ocorreram momentos em que eu parei e pensei, O QUE QUE ESTOU FAZENDO AQUI? Pensava isso, principalmente, nas aulas de Inglês, mas, tudo era recompensado nas aulas de Linguística, Teoria Literária, Psicologia, Produção de Texto... Bom, eu amo Letras e, sim, eu serei uma professora dedicada e muito legal! ;D

Como não conseguirei continuar nessa linha de lista de esse ano foi bom porque isso e por aquilo, vou escrever aleatoriamente.

Alcancei muitas das metas que estipulei nesse post, como: conseguir um emprego, não o trampo dos sonhos, mas um local que paga no dia e que possui uma equipe hilária, porque ganhamos pouco mas nos divertimos!!!
Promessas como ser mais organizada, ser mais paciente com as pessoas, fazer trabalho voluntário, economizar para rechear minha poupança, escrever aqueles meus livros e me dedicar mais ao blog, não consegui cumprir, porque esse ano, a vida e os caminhos que trilhei durante o ano, fizeram-me cumprir outros planos. 

Uma das metas que cumpri com louvor foi a leitura de 60 livros, precisamente, li 64 livros! Eu poderia ter lido mais, mas estive muito cansada durante muitos dias desse ano. 


Comprei um notebook a prazo, porque sou fiel aos carnês.

É claro que não devo deixar de citar o local lindo, maravilhoso que conheci em 2010 e que, no último ano pude aproveitar e frequentar, quase que, diariamente, a Biblioteca de São Paulo é um local dos sonhos para quem ama livros! O lema do local é A biblioteca é sua, e não é que eu me sentia muito em casa quando estava em suas dependências. Creio que, mais de 30 livros foram empréstimos da BSP. Indico o Flickr da biblioteca, pelas fotos vocês podem ver como o local é colorido, lindo e convidativo. 

Em 2011, conheci muuuuitas pessoas bacanas, na faculdade, no trabalho, por culpa das Letras, dos livros conheci pessoas que significaram e que significam muito em minha vida, e que serão sempre citadas em minhas retrospectivas. 
Pessoas que estiveram lado a lado comigo num dos dias de dois mil e onze: Andréia Pina, Ana (Grace Kelly), João Lucas de Oliveira, o melhor colunista desse blog, Pri Calixto e sua família adorável, a Rosângela Nunes, o Renan Oliveira e meus colegas da Letras UNIESP, Lê Santos, a Rafaela Silva e sua mãe, a minha segunda mãe e é claro, minha família micro, mamãe, papai e brother e, por último e tão importante quanto os demais supracitados, meu adorado Paulo Alan Fonseca.  

Deixando de lado, esse post super egocêntrico, o ano de 2011 ao redor do mundo foi marcado por inúmeros acontecimentos marcantes que marcaram a vida de todos nós. Como diz a vinheta da retrospectiva do canal Globo News: 2011 não é passado. Mas um pedaço do futuro.


E para o futuro, deixo aqui registradas as metas para o próximo ano: 

Leitura de 80 livros;
Mudança de emprego; 
Começo de um namoro sério; 
Estudar inglês, começar o curso; 
Me dedicar, bem mais, ao blog;
Mais dedicação aos estudos, conceito 10 em todas as matérias; 


E que venha 2012!!!

Beigos!!!

30 de dezembro de 2011

Music Box # 9

Music Box é uma coluna semanal, em que eu, João Lucas, exponho meu gosto musical, apresentando discos novos ou antigos do meu acervo e preferência.


           O Ano está acabando e decidi criar  um banner novo para o Music Box ficou meio mixuruca, mas logo pretendo melhorar ele, essa será minha última postagem do ano e desejo a todos um Feliz Ano Novo! Que seus desejos para o próximo ano se realizem e que venham muitos livros e músicas para vocês curtirem.


      Hoje vou apresentar uma banda que eu curti muito esse ano, Scissor Sisters uma banda americana formada em 2001 cujo nome é literalmente "irmãs tesouras", que é uma gíria em inglês para uma posição sexual lésbica, é formada por Jake Shears (Vocalista), Babydaddy (Baixo, teclado e segunda voz), Ana Matronic (Vocal e Percussão), Del Marquis (Guitarra principal) e Paddy Boom (Bateria e  Percussão).
             

      Apresentarei o álbum que julgo ser o melhor da discografia da banda, o "Night Work", lançado em 2010, a banda se juntou com o produtor Stuart Price que fez o "Confessions on a Dance Floor" da Madonna e algumas músicas para Kylie Minogue e Lady GaGa, um gênio da música eletrônica! (sim Stuart é fera), e criou esse grande álbum, o disco começa com a música que tem o nome do disco, Night Work, uma música muito dançante e ao mesmo tempo bem retro, Whole New Way é um pouco menos agitada seguindo a linha mais glam rock, Fire With Fire que é o primeiro single do disco é uma canção poderosa, dançante com uma temática de amor bem diferente,  Any Which Way é o segundo single do disco, uma canção com o mesmo estilo dance e retro da primeira faixa, Harder You Get apesar de bem dançante, chega para o lado mais rock como as faixas dos discos anteriores da banda, Running Out é tão dançante e empolgante, queria que se tornasse single do disco, Something Like This conta com uma batida mais forte e agressiva, Skin This Cat conta com o vocal da Ana Matronic, com batidas tão fortes como a música anterior, Skin Tight possui uma instrumental seguindo a linha de Fire With Fire, Sex and Violence é uma das melhores do disco, em Night Life, Jake e Ana trocam um vocal em uma música incrível, e logo depois vem o terceiro single do disco, o meu preferido, Invisible Light, uma música longa porém completamente surreal que fecha o disco com chave de ouro.

Singles:


Clipes: 
A banda é marcada por clipes extremamente criativos! Confiram!
Fire With Fire
Any Which Way
Invisible Light


Gostaram da análise?
Até o ano que vem kkkkkkk. Feliz 2012 para todos!

28 de dezembro de 2011

Restropecto Mensal: Em Dezembro...

Faltam 2 dias para o fim do mês e a chegada de um novo ano. O último balanço do mês que passou, não possui muito conteúdo, como os meses anteriores desse ano que não acreditava que fosse acabar tão rápido, enfim, em dezembro...

Eu Li:
Meu Coração, Não Sei Por Quê de Fábio Moon e Gabriel Bá *empréstimo da BSP
Mariana de Pedro Bandeira *empréstimo da BSP

Não Li:
Muitos livros. Leituras que deixarei para janeiro. 

Ouvi:
Muito o disco Nó na orelha do Criolo.

Surtei com as últimas provas da faculdade. Linguística e Língua Portuguesa foram as pedras no meu caminho. Graças a Deus, fui aprovada após dois exames exautivos, mas, ufa!, eu PASSEI! Semestre que vem, tudo volta ao normal ;)

Preferi não participar desse mês do Desafio Literário por falta de tempo, dezembro foi - as três semanas iniciais do mês uma loucura para quem trabalha no comércio, como eu, infelizmente - muito corrido!

Beigos! 
E um feliz 2012 para todos!

20 de dezembro de 2011

2 em 1: Retrospeto Mensal: Em Outubro e Novembro

Postagem onde faço uma pequena retrospectiva do mês anterior, sem muitas delongas, apenas o que eu li, o que assisti, onde fui...

Olá, pessoal!
Muitas coisas aconteceram em minha vida nos respectivos meses de outubro e novembro, o que me afastou daqui, dos amigos com que mantenho contato pela internet e até mesmo dos livros, minha vida ficou tão, tão maluca que até mesmo ler tornou-se algo impossível de se fazer. 
Postar aqui tornou-se raridade, ou seja, não tive a oportunidade de publicar a retrospectiva dos últimos dois meses. 


Retrospecto Mensal: Em Outubro...

Para o Desafio Literário desse mês, de tema Contos ou crônicas, li apenas um livro: Contos para ler no bar, organização de Miguel Sanches Neto. 


Também Li:
Eu Amo Livros (Coleção Amo) de Iris Borges *empréstimo da BSP
Eu Amo Bibliotecas (Coleção Amo) de Iris Borges  *empréstimo da BSP
Eu Amo Escritores (Coleção Amo) de Iris Borges *empréstimo da BSP
Eu Amo Ilustradores (Coleção Amo) de Iris Borges  *empréstimo da BSP
Eu Amo Editora (Coleção Amo) de Iris Borges  *empréstimo da BSP
Para a faculdade, A Língua de Eulália de Marcos Bagno *compra

Não Li:
Não cheguei a terminar, é o certo, Axilas e Outras Histórias Indecorosas de Rubem Fonseca. *empréstimo da BSP

Ouvi:
Muita chateação e pouquinha música...


Retrospecto Mensal: Em Novembro...

Li:
Verde, quero de novo ver-te de Lucia Maria Paleari e Adelidia Chiarelli *empréstimo da BSP

Não Li:
Todos Contra Dante de Luis Dill *empréstimo da BSP
A Pata da Gazela e Iracema de José de Alencar *empréstimo da BSP


Ouvi:
Muita chateação. E graças a Deus, mais música do que o mês anterior. Sintonizada, como sempre, na rádio Nova Brasil F.M

Visitei:
O Museu da Língua Portuguesa pela, vai!, décima vez! ;D

Não cumpri com o Desafio Literário desse mês, por preguiça, por desânimo para pesquisar livros do tema Clássico da literatura mundial.

Beigos!

18 de dezembro de 2011

Essa Semana #16


Meme semanal hospedado pelo Lost in Chick Lit, onde compartilhamos pequenas informações sobre a nossa semana literária. Tendo como principal objetivo encorajar a interação entre os blogs literários brasileiros, fazer amizades e conhecer um pouquinho mais sobre outras pessoas apaixonada por literatura. Tem interesse em participar? Saiba como aqui!


Leitura do momento:
Irmãos Pretos por Hannes Binder e Lisa Tetzner

Livros emprestados da biblioteca: 
O livro acima, empréstimo da Biblioteca de São Paulo.

Li essa semana:
Meu Coração. Não Sei Por Quê por Fábio Moon e Gabriel Bá. 

Resenhei essa semana:
Já repararam que eu não resenho NADA +13

Comprei essa semana: 
Um Dia por David Nicholls,  
A Última Música por Nicholas Sparks, 
Gramática por Faraco e Moura *para as férias e próximos semestres* e 
Harry Potter: Das Páginas Para A Tela por Bob McCabe

Ganhei essa semana: 
Muitos, muitos presentinhos de aniversário *-*

Desejo Comprar Urgentemente:
Nada. 

Estado de Espírito Literário: 
Cansado. Ultimamente, lendo apenas livros de, no máximo, 100 páginas para me recuperar das provas. 

Feito da Semana: 
Nenhum +9

Im in mood for... (gênero literário do momento):
Só lendo histórias em quadrinhos.

Vi e viciei (booktrailers, trailers, vídeos whatever):
GENTE, EU CHORO DE RIR COM ESSE VÍDEO...


Beigos! 

14 de dezembro de 2011

Quero Ler #20

Três livros que desejo muito ler, quero, mas que estão na fila para serem adquiridos, comprados ou encontrados nas bibliotecas da cidade.

Olá, pessoal!
Sumi do blog, né!? Nos últimos dias, me dediquei ao máximo à faculdade, às provas, deixando de lado esse espaço, que é importante mas não tão quanto meu curso. 
Bom, o último Quero ler trouxe três livros do Jonathan Safran Foer, a postagem de hoje trará um trio de uma mesma editora e de mesma temática. Um listão de 1001 livros, discos, filmes que devemos ler ouvir, assistir antes de morrermos. 
Ótimas dicas para presentear quem gostamos neste Natal, não acham? 
Como eu me adoro, comprarei 1001 Livros...
;)

Título: 1001 Discos para Ouvir Antes de Morrer 
Organizado por Robert Dimery
Editora: Sextante
1001 discos para ouvir antes de morrer é uma verdadeira bíblia da música, a coleção definitiva dos melhores álbuns dos últimos 60 anos, abrangendo desde as origens do rock 'n' roll até as inovações tecnológicas e eletrônicas que invadiram o cenário musical nos anos 2000. 
Escrito por 90 críticos e jornalistas internacionalmente reconhecidos, esta edição atualizada traz mais de 900 imagens de álbuns, bandas e artistas. Do jazz ao punk, do hip-hop ao blues, passando pelos mais diversos estilos, este guia, repleto de curiosidades e fatos históricos, é um artigo de primeira necessidade para os aficionados por música.

Título: 1001 Livros para Ler Antes de Morrer
Organizado por Peter Doxall
Editora: Sextante
A arte de contar histórias é intrínseca à natureza humana - seja para transmitir conceitos morais, registrar acontecimentos históricos, relembrar a vida de uma grande personalidade, por puro entretenimento, ou, como Sherazade, para viver por mais um dia. Desde As mil e uma noites, as narrativas de ficção exercem grande fascínio e influência sobre as pessoas. Seduzidos pela leitura, inúmeros jovens descobriram seu talento e se tornaram escritores. Livros inspiram outros livros numa progressão tão espantosa que fica difícil para qualquer um acompanhar todas as opções disponíveis. 1001 livros para ler antes de morrer reúne algumas das obras de ficção de maior impacto da história. De clássicos como Dom Quixote, de Cervantes, e Os Lusíadas, de Camões, até os mais recentes e inovadores, como Almoço nu, de William Burroughs, e Tudo se ilumina, de Jonathan Safran Foer, você encontrará aqui títulos que marcaram época, dos mais diversos estilos e para todos os gostos. Com resenhas elaboradas por uma equipe de escritores, críticos literários e jornalistas internacionais, este livro poderá guiá-lo pela história da literatura mundial. E, para darmos mais destaque à produção literária de língua portuguesa, incluímos nomes como Aluísio de Azevedo, Lima Barreto, Lygia Fagundes Telles e Mia Couto. Não importa se você está escolhendo sua próxima leitura, tentando encontrar o presente ideal para um amigo ou se deseja conhecer um pouco mais sobre grandes obras e seus autores, 1001 livros para ler antes de morrer é perfeito para todos os que gostam de ler. 


Título: 1001 Filmes Para Ver Antes de Morrer
Organizado por Steven Jay Schneider
Editora: Sextante
Nesta edição atualizada, que conta com sucessos recentes, mais de 50 críticos consagrados selecionaram 1001 filmes imperdíveis e os reuniram neste guia de referência para todos os apaixonados pela sétima arte. 
Ilustrado com centenas de cartazes, cenas de filmes e retratos de atores, o livro traz lado a lado as obras mais significativas de todos os gêneros - de ação a vanguarda, passando por animação, comédia, aventura, documentário, musical, romance, drama, suspense, terror, curta-metragem e ficção científica. 
Organizado por ordem cronológica, este livro pode ser usado para aprofundar seus conhecimentos sobre um filme específico ou simplesmente para escolher o que assistir hoje à noite. 


Beigos!

10 de dezembro de 2011

Envelheço na cidade...

Há 19 anos, em 10 de dezembro de 1992, eu nascia!!!


Admito que esse cofcof acontecimento não acarretou nenhuma grande mudança na última década do século XX, se não considerarmos meu nascimento como um grande passo para a humanidade. ;D
Devo deixar esse discurso hiper narcisista de lado, para começar a postagem de verdade.

Não é todo dia que completo 19 anos, pelo menos, nessa vida só completarei essa idade hoje e isso é motivo para alegrias. Alegria por estar viva; por não ter tido nenhum filho até essa idade, estereótipo de minha geração, argh; por estar cursando Letras; por ter conhecido uma pessoa que sei, com muita certeza, que estará comigo pelos meus próximos, vai!, 60 aniversários e por estar comemorando, pelo segundo ano consecutivo, essa data linda em São Paulo!

A cidade mais linda do mundo, mentira, voltou a ser meu lar no dezembro passado.
Ah, os meus dezembros... Esse mês como essa data, como esse ano, o do ápice do Movimento Grunge, são os números que regem minha vida indiretamente.
E 2011, esse ano nada discreto foi, porque ele já está se despedindo, um ano que nem todos os adjetivos que conheço seriam incapazes de qualificá-lo. 18 anos com muitos livros, muitos passeios, muitas intrigas, romances, estresse, transporte público precário e a descoberta de que a vida me reserva muitas coisas, boas e ruins. Tudo isso vivenciado numa São Paulo que nunca perde o charme... Cidade nascida para ser o cenário do livro que é a minha vida.

Valeu, 18 anos!
Vem com tudo, DEZENOVE!!!



Mais um ano que se passa
Mais um ano sem você
Já não tenho a mesma idade
Envelheço na cidade

Envelheço na Cidade, Ira!





Beigos!

4 de dezembro de 2011

Essa Semana #15



Meme semanal hospedado pelo Lost In Chick Lit, onde compartilhamos pequenas informações sobre a nossa semana literária. Tendo como principal objetivo encorajar a interação entre os blogs literários brasileiros, fazer amizades e conhecer um pouquinho mais sobre outras pessoas apaixonada por literatura. Tem interesse em participar? Saiba como aqui!

Leitura do momento:
Muitos livros para a faculdade.

Livros emprestados da biblioteca: 
Os livros para a faculdade, er, são empréstimos da Biblioteca de São Paulo.

Li essa semana:
Mariana do Pedro Bandeira. 

Resenhei essa semana:
Já repararam que eu não resenho NADA +12

Comprei essa semana: 
A Breve Segunda Vida de Bree Tanner da Stephenie Meyer, por R$ 4,90.

Ganhei essa semana: 
Nada D: 
Espero que a semana que entra seja repleta de presentinhos. 

Desejo Comprar Urgentemente:
Não é urgente mais, quero comprar livros pra começar 2012 com a prateleira cheia

Estado de Espírito Literário: 
Não tenho mais esse espírito, estou me dedicando apenas aos estudos e aos livros chatos, a minha gramática de 600 páginas.

Feito da Semana: 
Nenhum +8

Im in mood for... (gênero literário do momento):
Infanto-juvenil +3

Vi e viciei (booktrailers, trailers, vídeos whatever):
Nada.

Beigos! 

PS: Dia 10 é meu aniversário. Quero presentes, muitos livros, muito chocolate... ou, no mínimo, uma mensagem me parabenizando por minha velhice. 

19 de novembro de 2011

Music Box #8


Music Box é uma coluna semanal, em que eu, João Lucas, exponho meu gosto musical, apresentando discos novos ou antigos do meu acervo e preferência.

Confesso que a alguns anos atrás eu era meio "poser" em relação a Cyndi Lauper (Cynthia Ann Stephanie Lauper Thornton), eu só ouvia os discos "She's So Unusual" e "True Colors", e achava que ela não passava disso, conforme o tempo foi passando eu fui amadurecendo e conheci a discografia dessa excelente cantora! São discos maravilhosos, que apesar de que alguns são "desconhecidos" pela maioria, todos são de excelente qualidade, hoje vou falar do disco que se tornou o meu favorito, ele é bem conhecido e fez bastante sucesso, se chama "A Night To Remember".

Capa

Lançado em maio de 1989, sucessor de True Colors, possui uma pegada mais pop-rock comparado ao anterior, o nome original do disco seria Kindred Spirt, mas foi mudado não se sabe o motivo,  vendeu 6 milhões de cópias ao redor do globo, o disco começa com a Intro, que diz:

"If you think you're hearing somethingAnd you can't think what it isIf you feel a quiet longingLift your heart into the wind
There you'll find my kindred spiritThere you'll meet me as a friendIt is just a kindred feelingAnd a song to let you in..."

Tradução: 

"Se você acha que você está ouvindo algo

E você não pode pensar o que é

Se você sentir uma saudade tranquila
Levante o seu coração contra o vento

Lá você vai encontrar minha alma gêmea
Lá você vai encontrar-me como amigo
É apenas uma sensação de parentesco
E uma música para deixar você entrar .."

Essa Intro está presente no início do clipe da próxima faixa a clássica I Drove All Night que é uma balada de pop-rock que se tornou muito popular nos anos 80, é uma balada perfeita  e os vocais da Cyndi estão maravilhosos, dá inicio a uma grande noitada,  Primitive é uma canção contagiante, logo o "it's primitive you got me ooooh" vai entrar em sua cabeça, uma ótima canção pop-rock oitentista, My First Night Without You é uma canção clássica do disco, uma balada bem produzida com vocais incríveis por parte da cantora, uma noite sozinha e no clipe mostra bem isso, Like a Cat é uma canção bem engraçadinha e gostosa de ouvir, Heading West  também é single e é uma das minhas canções preferidas, também é muito conhecida, é uma balada de pop-rock tão bonita quando a faixa My First Night Without you, A Night to Remember uma canção maravilhosa, quem já teve uma noite maravilhosa e memorável com a pessoa que ama, vai  se sentir confortável com essa canção, Unconditional Love  é uma balada bem oitentista e nostalgica até para quem não viveu a época, Insecurious pode ser considerada a mais "rock" do disco, é bem agitadinha comparada a anterior, Dancing With a Stranger é uma das canções que mais gosto do álbum, quem nunca dançou com um estranho em uma noitada?  Don’t Want To Be Your Friend é uma canção de "cai fora, você brincou comigo e agora me quer de volta? fala que se importa comigo? não quero mais ser seu amigo" , bem muitas pessoas entendem isso, não só como namorado mas como amigo também, todos nos passamos por isso e essa canção retrata de forma perfeita, além de possuir um rítimo maravilhoso e ser uma ótima balada ao estilo pop-rock oitentista, Kindred Spirit é apenas uma faixa que fecha o disco, seguindo a mesma linha da introdução, diz:

"Se você pensar que está ouvindo algo,
E você não imagina o que seja.
Se você sentir uma saudade calma,
Eleve seu coração contra o vento.

Lá você encontrará meu espírito parente,
Lá você vai encontrar-me como um amigo.
É apenas um sentimento parente,
E uma canção para deixá-lo entrar..."

Singles:

Videoclipes:

Essa era também foi marcada por uma notável mudança de visual de Cyndi Lauper:





Gostaram da Análise? Até a próxima! ^^

16 de novembro de 2011

Quero Ler #19

Três livros que desejo muito ler, quero, mas que estão na fila para serem adquiridos, comprados ou encontrados nas bibliotecas da cidade.

Não havia escolhido ainda os três títulos da postagem de hoje, quando me lembrei do escritor norte-americando Jonathan Safran Foer que conheci no início desse ano, precisamente em fevereiro, ao ler uma reportagem sobre seu recém-lançado Comer Animais, ''livro (que) traz dados sobre a indústria da carne e questiona o consumo massivo do alimento''
Foi amor à primeira vista, ou folheada. Ainda não comprei nenhum de seus livros por falta de oportunidade, ou falta de dinheiro mesmo. Como meu aniversário está próximo, clamo como presente um dos livros abaixo. Indireta para os amigos.

Título: Extremamente Alto & Incrivelmente Perto
Autor: Jonathan Safran Foer
Editora: Rocco 
Nunca é possível reconhecer o último momento de felicidade que antecede uma tragédia. Seja ela o ataque às torres do World Trade Center, seja o cruel bombardeio aliado sobre Dresden, que arrasou a cidade e a população civil da histórica cidade alemã na Segunda Guerra Mundial. Portanto, dificilmente há tempo de verbalizar o amor que se sente pelas pessoas próximas que, por um golpe do destino, tornam-se distantes. Esta constatação e os dois acontecimentos históricos guiam 'Extremamente alto & incrivelmente perto'. O principal narrador do livro, Oskar, é um menino extremamente inteligente de 9 anos de idade, sofre com a morte do pai, uma das vítimas do ataque ao World Trade Center, que estava no local da tragédia por um mero acaso - uma reunião no Windows of the World, o restaurante no último andar de uma das torres. A dor de Oskar não vem só da perda, mas do fato de julgar ser o único a ouvir as últimas palavras emitidas pelo pai, deixadas numa secretária eletrônica. 

Título: Comer Animais 

Autor: Jonathan Safran Foer
Editora: Rocco
Em seu primeiro livro de não ficção, Comer animais, Jonathan Safran Foer, autor do premiado Tudo se ilumina, publicado pela Rocco, mergulha no mundo da chamada pecuária industrial nos Estados Unidos – a criação intensiva de aves, porcos e bois –, assim como na pesca em larga escala e suas implicações para o meio ambiente. Após três anos de pesquisas, o resultado é um panorama assustador. Para que, levando em conta a inflação, a proteína animal custe hoje mais barato do que em qualquer outro momento da história americana, animais são submetidos a maus-tratos e abatidos para o consumo deformados e doentes; há pouco ou nenhum escrutínio público e supervisão eficiente por parte das autoridades sanitárias; rios e cursos d’água subterrâneos são poluídos por excrementos e dejetos da produção, com os custos, no sentido mais amplo da palavra, repassados à sociedade; e os ecossistemas do planeta correm risco de colapso em um futuro não tão distante. Vegetariano esporádico, Safran Foer começou a pensar mais seriamente em suas opções alimentares quando seu filho mais velho nasceu. A preocupação com a origem da carne e a forma como é processada o levou a investigar a indústria alimentícia e, apoiado em estatísticas do governo americano e em fontes acadêmicas e industriais, ele teve a oportunidade de ouvir insiders do negócio, cientistas, membros de entidades defensoras dos direitos dos animais, chegando até mesmo a invadir uma granja e a testemunhar as terríveis condições do local. Esse apanhado de dados é de arrepiar o mais devoto carnívoro: a indústria de carne ocupa cerca de 1/3 das terras do planeta; o setor pecuarista é responsável, globalmente, por 18% das emissões de gás estufa; e um só método de pesca, o feito com espinhéis, mata 4,5 milhões de animais anualmente, incluindo 3,3 milhões de tubarões, 60 mil tartarugas marinhas e 20 mil golfinhos e baleias. Além disso, a criação animal usa, a cada ano, 756 milhões de toneladas de grãos e cereais para alimentar aves, porcos e gado bovino, bem mais do que o necessário para alimentar o 1,4 bilhão de seres humanos que vivem em extrema pobreza, cenário que tende a se agravar com o avanço do consumo dos variados tipos de carne em países emergentes como a China e a Índia. Sem esquecer a importância que o ato de comer representa nas mais diversas culturas, pois é à mesa, com suas memórias e histórias, que, desde sempre, se forja a fraternidade, Safran Foer propõe um debate ético sobre o consumo alimentar dos animais. Ele defende o vegetarianismo como uma opção mais sensata de pecuária e um onivorismo mais honrado, que traga benefícios para o meio ambiente. O escritor também advoga um retorno ao antigos métodos de criação, menos traumatizantes para os bichos e para os ecossistemas, a imagem da fazenda bucólica tão associada aos valores americanos e que, hoje, representa apenas 1% de toda a produção nos Estados Unidos. Em última análise, Safran Foer pede aos leitores que ponderem sobre a decisão moral de comer outro ser vivo e que, se necessário fazê-lo, lutem por mudanças que permitam aos animais serem tratados com compaixão e dignidade, de forma que mesmo o abate seja feito de maneira que provoque o mínimo de sofrimento possível a aves, porcos e bois. Agora em português!


Título: Tudo se Ilumina
Autor: Jonathan Safran Foer
Editora: Rocco
"Tudo se Ilumina" é um romance construído sobre três narrativas completamente diferentes, que seguem paralelas e entremeadas. Alguns capítulos mostram Jonathan Safran Foer, personagem fictício homônimo do autor, em sua viagem à Ucrânia em busca de Augustine. Em sua jornada, ele conta com a ajuda do estranho Alexander Perchov, jovem ucraniano que lhe serve de guia e intérprete. Outros capítulos são páginas do livro de não-ficção escrito pelo personagem, contando a história de sua família desde o nascimento da aldeia Trachimbrod, no século XVII, até sua viagem de pesquisa ao local. Em 2005, Liev Schreiber escreveu e dirigiu uma adaptação cinematográfica do romance, estrelado por Elijah Wood.

Beigos!