31 de outubro de 2010

O Meme Literário de Um Mês

Dia 28, pela manhã leio um tweet da Happy Batatinha sobre um Meme Literário de um Mês, como sou curiosa, cliquei no link e fui para o blog dela e descobri esse meme criado pela própria Tábata , topei na mesma hora, livros é comigo mesma! 
Ele será iniciado em novembro que já está aí, amanhã é dia 1°, nossa, o ano já acabou! =o 
Para saber mais sobre o meme, clique aqui, não seria má ideia se você o aderisse, hein!?!


Dia 01 – um livro que te surpreendeu completamente:pode ser tanto positivamente ou negativamente. Ou ambos. 
Dia 02 – um livro que te fez chorar
Dia 03 – o melhor livro que você leu nos últimos 12 meses

Dia 04 – um livro que você leu mais de uma vez
Dia 05 – o primeiro livro que você lembra de ter lido
Dia 06 – capa de livro favorita
Dia 07 – um livro que achou difícil de ler
Dia 08 – um livro que todos deveriam ler pelo menos uma vez
Dia 09 – a melhor cena que você já leu: assim como nos filmes, sempre tem uma cena literária que fica marcada na nossa memória.
Dia 10 – um livro que você não terminou de ler: não esqueça de explicar o motivo do abandono.

Dia 11 – seu tipo de livro favorito: Romance? Suspense? Aventura? Ficção?
Dia 12 – um livro que te faz lembrar alguém
Dia 13 – um livro que você gostaria que virasse filme

Dia 14 – personagem de livro favorita: pode ser homem ou mulher.
Dia 15 – um livro que te conforta: aquele que você gosta de ler quando está triste, jururu, beiçuda com o mundo. O livro-chocolate da sua vida.
Dia 16 – um livro que você gostou e que virou filme
Dia 17 – uma personagem de livro que você gostaria de chamar de seu: para namorar, casar, amassar, ter um love ou coisa do tipo.
Dia 18 – um início de livro que você gosta
Dia 19 – um livro que mudou a tua cabeça sobre um determinado assunto

Dia 20 – um final de livro surpreendente:Tanto positivamente ou negativamente. Ou ambos. E cuidado  com os spoilers!
Dia 21 – um livro guilty pleasure
Dia 22 – casal literário favorito

Dia 23 – uma personagem irritante: pode ser homem ou mulher.
Dia 24 – uma citação de livro que você gosta
Dia 25 – 5 livros que estão na tua pilha de “vou ler”
Dia 26 – um livro que você gostaria de ter escrito
Dia 27 – se um livro tem ___, você sempre lê: não deixe de mencionar um livro que tenha o seu item indispensável.
Dia 28 – um livro que você gostaria de ler mas que por algum motivo nunca leu
Dia 29 – um escritor que você adora e um que você detesta
Dia 30 – qual(is) livro(s) você está lendo agora?


Estou ansiosa para que esse meme comece logo e vocês? 
Então, até amanhã quando darei início a essa série de postagens que farei com gosto!

30 de outubro de 2010

Meme Literário #1 – Gênero Literários

1) Qual é o gênero literário que você mais gosta?

Infanto-Juvenil. Viram para mim e perguntam qual é meu gênero preferido, não penso duas vezes e respondo que é esse por ser um dos que mais li em minha vida e que continuarei a ler para meus filhos. 

2) Qual livro deste gênero é o seu preferido?
A série Harry Potter da J.K.Rowling que não precisa de apresentações.

3) E qual o gênero que você não gosta?
Auto-ajuda. Desculpem quem lê livros de auto-ajuda mas, sério, ô gênero besta... Esses livros não me ajudam em nada, nunca me ajudaram, consigo tirar lições mais valiosas de livros ficcionais do que com os auto-ajudas que vendem tanto, tanto e não ajudaram ainda a humanidade a evoluir um pouquinho...

4) Qual o gênero que você acha que vende mais livros?
Não sei. Os dedicados ao público Infanto-Juvenil? Fantasia? 


A Mari Frioli do blog A Leitora é a criadora desse Meme Literário, o via no blog da Tathy, o Eu Sou Assim, então decidi aderi-lo porque, não sei se já perceberam, ADORO MEMES!

Quinzenalmente, a Mari irá um publicar um meme diferente, serão perguntas sobre um assunto ligado ao mundo dos livros e que você pode participar ou não dele, se as perguntas daquele meme não forem de seu agrado, você espera pelo próximo e o responde. 

Pra começar, o tema de hoje são os gêneros literários. Vocês já conferiram minhas respostas às perguntas. Gostaram? Até daqui 15 dias! 

Beigos!

O Meme de um Mês: Dia 30 – O que você quiser


Como hoje, o tema é LIVRE! Me senti como na 5a série na aula de Artes quando podíamos fazer o que quiséssemos porque o tema era livre, e valia até desenho com lápis preto *-*
Resolvi postar trechos, quotes, de minha história: A Rua dos Garotos Perdidos, que venho escrevendo nas últimas semanas. Adoro escrever trechos soltos que parecem que não irão se encaixar na história mas que são sempre usados para a criação de novas tramas dentro da trama principal. 
São trechos sem aquele trabalhinho chamado revisão. 

Brenda e A.Filch: - Sinto-me só… Vocês não vem mais me visitar - comentou com tristeza. - Vão à praia e esquecem que eu moro lá! Na próxima vez, precisam passar em minha casa… - Ela fez beicinho, o rosto dele tornando-se meigo, olharam-se, ele falando:
- No próximo fim de semana, iremos! Se você estiver disponível vá conosco. 
- Eu estou sempre disponível - falou com segurança além do sorriso que não era de uma mulher decidida mas, sim, o de uma menina que gritava para ser fatal e ser enxergada com olhos que não aqueles que seu amigo tinha para si. 
- Nossa… - Ele fingiu estar sem ar. 
Riram e continuaram com os papos que de ora em ora possuía frases, gestos e ações que nunca deixariam de ser de um amigo garoto para sua amiga garota que, no fundo - onde a mulher fatal e decidida que existia dentro de si, enxergava-o de uma maneira bem mais ampla do que: Amigos para Sempre, bem mais ampla. 
”Se a reciprocidade existisse, ah, se ela existisse…”, ela pensava.

Liz e Forlan: Ela não era frágil, tudo menos isso. Usava seus dotes artísticos que explorara excessivamente nos primeiros anos da adolescência para mostrar a delicadeza e fragilidade que não possuía; ela era forte demais para sua pouca idade, vivera pouco mas passara por situações difíceis de serem lidadas por qualquer adolescente: a morte do pai, o suicido do irmão, o alcoolismo da mãe e a rejeição de irmãs, além de todo o sofrimento na escola, outro local onde havia sido rejeitada desde o primeiro dia. Tornara-se forte, sarcástica e frágil, delicada para apenas uma pessoa, para ele.
Seu melhor amigo e um dos poucos garotos que arriscara olhar com outros olhos.
Seu amigo. Ele tornara-se seu amigo, seu melhor, justo quando ela descobriu que além da amizade, ela sentia muito mais; sentia-se vulnerável em sua presença mas segura, sabia que estando ao seu lado nada de mal iria acontecer-lhe.
Deixava-se sorrir, deixava-se dividir os biscoitos. Deixava mesmo sua aversão por filmes de ação porque precisava aproveitar ao máximo os poucos momentos que tinham junto, eram amigos. E por isso, deixava-se abraçar mas não tanto, seu corpo denunciava-lhe, seu olhar, suas sobrancelhas, o modo como seus lábios moviam-se, o suor na testa, a tensão em seus maxilares…
Quando brincavam e ele excedia-se, apertando-a demais, seu lado delicada, diria menininha, falava muito alto e ela guinchava de dor, às vezes dor fingida para criar cena e seu aperto, o abraço dele ficar mais folgada mas amável e da sua boca as palavras, com graça, divertimento, talvez amor, serem ditas: - Oh, você é tão frágil… E quantas vezes ele disse aquilo. Algumas. E ela sentia prazer em ser frágil, em ter pulsos finos e tomar comprimidos para a anemia, sentia necessidade de mentir ser frágil, vulnerável para ter a oportunidade de ser abraçada e sonhar que aquilo um dia torne-se real, seu amor por seu melhor amigo.
Ela não era frágil, tudo menos isso, era a líder mas a única situação que não aprendera a liderar era o maldito amor que nutria por ele.''
Betina: Por que as coisas não voltavam a ser como antes? 
Por que as pessoas não voltavam ser como eram antes de tragédias coletivas? 
Por que as pessoas não continuavam a serem aquelas mesmas que dividiram barras de cereais com Betina durante as últimas férias. 
O porquê de elas não voltarem era tão óbvio, ele estava até mesmo marcado na pele da própria Betina que naquele momento afirmou em silêncio:
''Eles não voltam, pois, dessa vez ninguém voltará para Cubatão...''.
Eles poderiam retomar a viagem em direção ao... Guarujá, apenas Altino parecia animado para o retorno às rodovias. Heloísa não queria que a filha voltasse a ser loura. E Betina também não queria, mas havia feito uma escolha enquanto passeava pelos corredores da loja de conveniências. 

Betina e Brenda: – Ela é tão... – Brenda procurava um adjetivo adequado à Ananda.
– perfeita? – sugeriu Betina – Bonita? Metida?
Não?! – exclamou a menina em resposta ao primeiro adjetivo, zombou em silêncio: Ela não pode ser perfeita mesmo aparentando ser... Uma parte de si concordando em partes com ele, a outra que não concordava era a que sentia inveja – Talvez ela seja perfeita – disse com despeito.
– Talvez, não – repreendeu Betina que não notou o olhar faiscante da amiga. – Ela é! – afirmou. – Ananda é tudo o que essas garotinhas parecidas com Felipa desejam ser, só que elas fazem da maneira errada, tudo!
– Tudo o que, necessariamente? – sorriu a menina.
Betina riu alto, gostando da ideia de entrar naquele assunto. 

Carmo e Brenda: - Carmo, Carmo, Carmo - implorava a menina enquanto era arrastada porta a fora.

- Para de choramingar - pediu o garoto parando.
- Eu não vou vestida dessa maneira...
Carmo olhou Brenda de cima a baixo, o cabelo preso num coque, shorts branco, camiseta cinza e chinelos.
- Você está ótima - garantiu.
- Ótima?! - exclamou, olhando para os lados à procura de um argumento para rebater aquilo: - Homens, homens...
- Olha como eu me visto!!! - Deu três passos para trás, Brenda imitando-o, o olhou de cima a baixo.
- Você se diz Punk, não está nem aí se acabou de acordar...
- Que bom que você enxerga isso...
- A mensagem é clara... Esta camiseta... está usando há quantos dias? Uma semana? - debochou.
- Desde ontem, mesmo.
- Eu não vou para onde você quer que eu vá com essa roupa... Se você quiser mesmo que eu vá me espere trocá-la.
Carmo suspirou cansado: - Eu espero...
Voltaram para o apartamento. 

 Lari W e Brenda: Com certeza, existem tantos caras te desejando por aí...
Brenda e Lari ao mesmo tempo fizeram barulho de nojo, Brenda rindo com sua frase:
Foi de propósito, eu sei... - piscou Lari. – Eu desejo uma pessoa – disse olhando para o céu.
Posso saber quem é? – murmurou a outra.
Seu primo – Como Brenda não respondeu, Lari olhou para ela, a menina estava atônita, a boca escancaradas, os olhos arregalados. – Brenda? – hesitou.
Ele não é muito pouco para você? – perguntou com os olhos a expressão que estava assustando a modelo que pensou por poucos segundos, estendeu uma mão para a amiga e se apresentou:
Olá, meu nome é Larissa Wilmer, sou estudante, modelo e herdeira de um filho da puta e é claro, meu nome não é Betina.
Brenda não disfarçou o olhar de admiração e espanto que lançou para a amiga, sua amiga, sim:
– Sua vaca!

Resolvi escolher os melhores trechos - na minha opinião, os melhores mesmos dos personagens que mais ADORO porque se fosse postar outros das demais personagens, numa postagem não caberia - haha.

Para saber mais sobre essa história, visite o blog de A Rua dos Garotos Perdidos.
 Irei deixá-los com o trailer criado por Cristina Sisan para #ARGP. 


Para mais informações sobre O Meme de um Mês, clique aqui. E para ver os outros dias, aqui.

29 de outubro de 2010

O Meme de um Mês: Dia 29 – O que você espera, os sonhos e planos para os próximos 365 dias


Eu espero muita coisa, ADMITO. 
Espero conseguir uma vaga naquela universidade ou não. Ainda estou decidindo se presto o vestibular ou deixo 2011 para ser um ano dedicado aos estudos para tentar aquelas outras universidades, como USP, sabe, haha. 
Nos próximos 365 dias, eu correrei atrás de um emprego, chega uma época na vida que precisamos de nosso próprio dinheiro e eu também preciso de mais livros para a minha biblioteca pessoal que aos poucos está aumentando. 
E o emprego dos sonhos seria: bibliotecária ou funcionária de uma livraria, imagina a felicidade que seria minha vida lendo os livros do acervo da biblioteca nos momentos de folga - ok, isso parece ser errado mas deixem-me sonhar um pouquinho, hihi!
Um namorado não seria pedir muito, ou seria? E o namorado dos sonhos também não é muito: tem que tomar muito café, gostar de música, falar poucas gírias - já basta eu, falando 9 gírias entre 10 palavras, não se importar em perder horas em uma livraria, sebo, banca de jornal comigo, ele tem que ser paciente e ser um bom ouvinte porque eu falo MUITO e ser uma pessoa comunicativa excessivamente não é um defeito, é algo apenas constrangedor e hilário. 
Pensando bem, tirarei o namorado dos sonhos para o próximo ano.
Espero que ano que vem saiba para onde quero ir, continuar na Bahia ou rumar para o Sudeste ou retornar para minha terra, Paraíba. 
A ideia de arrumar minha mala e partir para o desconhecido não está em meus planos. Sou sagitariana, adoro aventuras mas não desejo passar por apertos, gosto de tomar meu leite quente e encostar a cabeça no travesseiro e ter preocupações fúteis como: ''Preciso devolver o livro que peguei na biblioteca'', ''Tenho que limpar os armários da tia para conseguir aqueles 15 reais e pagar a outra tia''. Quando vejo algum amigo falando que vai vazar, assim, sem uma segurança, moradia, trabalho, paitrocínio, me desespero... Pessoas inteligentes, cheias de planos e desesperançadas vêem seus sonhos morrerem ao saírem da casa dos pais em busca da tal independência. Completarei 18 anos em dezembro mas não desejo sair da casa de meus pais, gosto deles palpitando em minha vida, sinto-me amada, por duas pessoas ao menos!
Mas, deturpando um pouco a postagem, direi as coisas que quero: 
Quero meu cabelo na cintura, eita, sonho besta! 
Quero um all star novo. 
Quero todos os livros que já foram citados no Quero Ler. 
Quero meu irmão mais velho para que ele volte a me pagar lanches nas padarias da vida, e desejar dar um passeio de um mês na cidade de São Paulo não é muito, é pouco tamanha minhas saudades daquele caos (des)organizado que é a minha megalópole :') 
As coisas que espero, sonho, os planos para o próximo ano ainda são turvos, ainda estou analisando-os e descartando os inviáveis - aqueles que sei que só conseguirei daqui alguns anos, botando os pés no chão, né!, porque eu ainda sou uma adolescente, 17 com cara de sei lá quantos e eu não sou daquelas que vivem apenas o hoje, seria dar um tiro no pé :s, vivo o hoje com um olhar no ontem e outro, olhos arregalados, para o futuro que só existirá se eu viver e planejar, não concretizar ou sim, hoje. 

Para mais informações sobre O Meme de um Mês, clique aqui. E para ver os outros dias, aqui.

28 de outubro de 2010

O Meme de um Mês: Dia 28 – Este ano, em grande detalhe

Em grande detalhe, é? Então bora lá!

Li um livro do Ziraldo e passei a adorar esse cartunista e, sim, ótimo escritor.
Pela primeira vez em minha vida, pulei Carnaval. E não aquele Carnaval de sambódromo de São Paulo. E sim, carnaval de rua com direito à trio elétrico e banho de cheiro pelas ruas estreitas e antigas de Caravelas que eu passei a odiar menos em 2010 por ter descoberto que aqui não é tão ruim quanta aparenta ser. Se eu for entrar em detalhes sobre essa minha mudança, você iria dormir de tão entediante que seria esse primeiro parágrafo. Devo agradecer aos meus primos e primas por terem me acolhido, curtir Carnaval com eles valeu a pena, mesmo, eu sendo uma pessoa chata e não saber dançar! 

Quase passei para o período matutino e me arrependo, hoje, por não ter permanecido na turma da manhã, minha classe esse ano... foi a pior em anos. Meu, estou quase me formando no colégio, TERCEIRÃO, e fui - justo - me despedir do Ensino Médio com uma classe como a a atual. Classifico o 3° ano C em única palavra que seria um palavrão bem cabeludo. Não sentirei saudades deles, de cinco, seis pessoas talvez mas dos demais, espero que eles sejam bem infelizes :) 
Decidi que, SIM, Letras é o curso pelo qual demorei a me decidir mas que sei que será o meu trunfo, desde pequena evidenciava de que seria uma professora, trocava fácil, fácil uma boneca por um caderninho, lápis e giz e as bonecas, aquelas que desprezava, eram minhas alunas. 

Esse foi o ano em que conversei muito, falei tanto a ponto de me tornar a chata do grupo, a matraca, sabe :/ Também conheci novas pessoas e as que já conhecia ou me aproximei mais ou me afastei completamente, acontecimentos sendo os causadores ou mesmo as mudanças de cidade, comportamento e por aí vai.

2010 também foi o ano que menos li, da meta inicial de 50 livros abaixei para 30 e no final, estipulei 20 porque esse ano sofri de uma ressaca literária brava e nos últimos três meses, a literatura de ficção, não-ficção, nem mesmo os auto-ajuda estão me ajudando a sorrir mais ou mesmo sentir prazer em ler. Nem em escrever sinto aquela sensação prazerosa de antes, por isso minhas histórias foram sendo deixadas de lado até serem largadas nas gavetas ou nas pastas do computador.

Musicalmente, meu irmão foi quem me deixou antenada sobre o que de bom rolava, apresentando-me novos artistas, principalmente, do exterior - principalmente. Ouvi de tudo um pouco, Móveis Coloniais de Acaju, Portugal. The Man, T.Mills, Kary Perry, Holger e tantas outras. 

Deixei de lado o Rock and Roll e me tornei mais eclética. O clima daqui ajudando-me a achar forró, arrocha, sertanejo dançável, não tenho culpa por possuir quadris que não metem e não ligar para a opinião dos outros, dançar na rua, cantar Fugidinha ou  Tarraxa aqui/ Tarraxa lá/ Tarraxa que eu quero dançar não tem problema algum, quando as pessoas que me verem pagar esse mico serem desocupados ao ponto de ficarem comentando que a filha de Sebastião Gonçalves fica fazendo isso ou aquilo. 
E pessoas desocupadas existem aos montes em Caravelas, pessoas que vivem para fofocar a vida alheia, inventar fofoca, falar dos filhos dos outros e não cuidar dos seus. 
Ser chamada de homossexual não tem problema algum, fui tachada de lésbica, sapata por não ter engravidado ainda ou ter beijado duas dúzias no Carnaval, o problema é o modo como as pessoas daqui tratam os gays, como se eles fossem doentes... 
MEU DEUS, adoro todos os gays que conheci aqui, poucos, e os de São Paulo, pessoas honestas e de coragem por terem enfrentado uma sociedade tão preconceituosa e hipócrita como a nossa. E se eu fosse lésbica, meus pais, minha linda família me amaria ainda mais, saberiam que haviam criado uma filha capaz de romper preconceitos, tabus em busca de respeito e igualdade. 
Mas como eu amo um garoto em especial, f*dam-se vocês, seus porcos filhos da mãe! 

2010 foi o ano dos meus Seveteen Forever, haha, quando tinha 14 anos sonhava com meus 18 e quando completei 17, senti que não, não queria fazer 18, a maioridade, a tal liberdade, a independência não era tão sonhada quanto antigamente. Por isso, esse ano, vivi meus 17 anos com certo saudosismo, com mais carinho do que o esperado. E como diz a música do Metro Station: We're one mistake from being together / But let's not ask why it's not right / You won't be seventeen forever / And we can get away with this tonight. 

E esse ano, eu me senti mal por muitas atitudes, por declarações e atitudes alheias. 

Esse ano, mostrei meu lado consumista, bolsas e mais bolsas. ''Eu poderia estar gastando meu dinheiro com drogas, álcool e outras coisas... Deixe-me comprar bolsas, ué!'', um dos meus argumentos para minha tia. E não tenho culpa por minha mãe saber que adoro bolsas carteiro e me mandar uma de presente de Dia das Crianças, e eu sou criança, sim, a filha, neta e prima caçula, FALOU! 

Diria que meu coração bateu mais rápido esse ano também por uma pessoa, mas entrar em detalhes é pedir pra ter que contar para as amigas, e elas - infelizmente - serão poupados até o dia em que eu souber que: já era, o amor platônico que não era tão platônico assim pode ser levado adiante. E escrever isso em meu blog é pedir para ser inquirida pelas amigas, se mata, Maura!

Esse ano, aprendi o verdadeiro valor da palavra família. 

Meu cabelo cresceu, está no ombro e mais volumoso e armado do que antes, e mesmo sendo difícil manter fios longos deixarei que eles cresçam até a cintura para depois cortá-los, como sempre faço. 
E falando em cabelo, vou passar para meu peso que despencou drasticamente nos últimos meses, receio que não voltarei aos meus 55 quilos, infelizmente, quando eu voltar a ser FELIZ O TEMPO INTEIRO, meus pneuzinhos voltem a fazer parte de mim, por enquanto, eles são passado e voltar a usar 38 não é tão animador. 

Se em 2009 eu quase não saí de casa, esse ano, me superei, dormi algumas dezenas de vezes na casa da Larissa Andrade. Obrigada, Lari, por me aturar. 

Também tive muito esse pensamento: Seria muito querer dormir: estudante do Ensino Médio recém-formada e acordar aluna do curso de Letras daquela universidade estadual supimpa que almejo? Essa é uma das perguntas que faço, seria muito querer apenas dar um basta em toda a palhaçada que é o ensino público do país, parar com esse lance de decorar, decorar e decorar para nos mandarem embora e cada um seguir seu rumo, uns estudar como malucos para entrarem na universidade, outros casarem, outros irem plantar suas ervas... De 2010 eu só peço que ACABE e que eu me forme sem precisar passar por recuperação ou dependências, é claro que não sou hipócrita em pedir isso e não fazer nadica de nada para conseguir, estou ralando, decorando, argh, e mantendo minhas notas no alto para acordar estudante universitária após um pesadelo assustador que foi os anos do Ensino Fundamental e Médio em minha vida.


Nos últimos tempos voltei a falar com a Priscila Calixto após meses e meses de apenas recadinhos aleatórios no Orkut. Minha eterna e adorada vizinha da ZN de São Paulo.


Fui apresentada ao talento do João Lucas de Oliveira em seu mangá amador, que é nota 10, de nome Clãs e que eu sei que será publicado e conquistará o mundo, como os romances que escrevo um capítulo por ano. 
Também conheci pessoas legais pela Internet que são donas de blogs literários, ou não, que estão em meus Favoritos e se eu parasse para citar todos, esqueceria de alguns, mas em especial, o Livros & Bolinhos da Juh Oliveto, foi um dos que mais adorei conhecer :')


E não posso deixar de citar, meus professores que, mesmo alguns sendo negligentes com nosso ensino, serão lembrados como aqueles que me influenciam - ainda mais, mais - a seguir a carreira deles, aprender a enxergar os números com outros olhos, as Exatas, foi a maior conquista nesse ano letivo que se encerra em menos de 35 dias. 


E, sim-sim, não devo esquecer de citar as pessoas queridas que não estão comigo aqui, minha flor, Andréia Pina, minha tia preferida, Nena Light - nem queiram saber o motivo desse apelido, minhas antigas amizades e as inimizades, é claro, eu sinto saudades de possuí-las. 

Acredito que faltará muita coisa nessa postagem sobre meu curto/longo ano de 2010. 
Um ano que eu não planejei, apenas deixei acontecer e não me arrependi por ele, chorei - admito - por besteiras, mas chorei rindo ao saber que minha vida é o roteiro de um filme de baixo orçamento mas de trilha sonora digna de premiação. 

Para mais informações sobre O Meme de um Mês, clique aqui. E para ver os outros dias, aqui.

27 de outubro de 2010

O Meme de um Mês: Dia 27 – Este mês, em grande detalhe


Outubro!
Mês que chegou tão rápido quanto se foi. Quando o mês 10 chega, o ano já acabou e essa sensação de fim só crescia com o passar dos dias, alguns tornaram-se  longos demais outros bem curtos. Em outubro me senti sozinha, muito sozinha, sentindo falta de meus pais, até do meu irmão. Sou incapaz de escrever sobre esse mês, que ainda não acabou mas que transformou-se em: decisivo, tamanha sua diferença dos demais meses já vividos. 


Para mais informações sobre O Meme de um Mês, clique aqui. E para ver os outros dias, aqui.

Quero Ler #7

Três livros que desejo muito ler, quero, mas que estão na fila para serem adquiridos, comprados ou encontrados nas bibliotecas da cidade.

Wake (Despertar) - Lisa McMann

Para Janie, uma garota de 17 anos, ser sugada para dentro dos sonhos de outras pessoas está se tornando normal. Janie não pode contar a ninguém sobre o que acontece com ela - eles nunca acreditariam, ou pior, achariam que é uma aberração. Então, ela vive no limite, amaldiçoada com uma habilidade que não quer e não pode controlar. Mas, de repente, Janie acaba presa dentro de um pesadelo horrível, que lhe causa um imenso terror. Pela primeira vez, ela deixa de ser expectadora e se torna uma participante... "Um romance lírico, cujas imagens permanecem com você, muito tempo depois de virada a última página, como o mais memorável dos sonhos." Cassandra Clare

Interligados - Gena Showalter

A maioria das pessoas de 16 anos de idade têm amigos. Aden Stone tem quatro almas humanas que vivem dentro dele. Um pode viajar no tempo. Um pode levantar os mortos. Um pode prever o futuro. E outro pode possuir outro humano. Todo mundo pensa que ele é louco, essa é a razão pela qual ele passou sua vida inteira entre instituições para doentes mentais e reformatório. Tudo isso está prestes a mudar. Durante meses Aden tem tido visões de uma menina bonita – uma moça que carrega segredos antigos. Uma menina que quer salvá-lo ou destruí-lo.


A Passagem - Justin Cronin
Primeiro, o imprevisível: a quebra de segurança em uma instalação secreta do governo norte-americano põe à solta um grupo de condenados à morte usados em um experimento militar. Infectados com um vírus modificado em laboratório que lhes dá incrível força, extraordinária capacidade de regeneração e hipersensibilidade à luz, tiveram os últimos traços de humanidade substituídos por um comportamento animalesco e uma insaciável sede de sangue. Depois, o inimaginável: ao escurecer, o caos e a carnificina se instalam, e o nascer do dia seguinte revela um país – talvez um planeta – que nunca mais será o mesmo. A cada noite, a população humana se reduz e cresce o número de pessoas contaminadas pelo vírus assustador. Tudo o que resta aos poucos sobreviventes é uma longa luta em uma paisagem marcada pelo medo da escuridão, da morte e de algo ainda pior. Enquanto a humanidade se torna presa do predador criado por ela mesma, o agente Brad Wolgast, do FBI, tenta proteger Amy, uma órfã de 6 anos e a única criança usada no malfadado experimento que deu início ao apocalipse. Mas, para Amy, esse é apenas o começo de uma longa jornada – através de décadas e milhares de quilômetros – até o lugar e o tempo em que deverá pôr fim ao que jamais deveria ter começado. A passagem é um suspense implacável, uma alegoria da luta humana diante de uma catástrofe sem precedentes. Da destruição da sociedade que conhecemos aos esforços de reconstruí-la na nova ordem que se instaura, do confronto entre o bem e o mal ao questionamento interno de cada personagem, pessoas comuns são levadas a feitos extraordinários, enfrentando seus maiores medos em um mundo que recende a morte.

Bônus: Estátuas de Sal - André Cardinali
Quem são as Estátuas de Sal? Dez anos depois que Deus destruiu São Paulo por conta dos pecados de seus habitantes, a pergunta ainda rodeia a cabeça de Alice, principalmente agora que seu pai foi encontrado morto, com suspeitas de suicídio. Em busca de respostas, a jovem inicia uma investigação que a levará até as ruínas proibidas da antiga metrópole. Uma viagem sem retorno e que revelará muito mais do que ela procurava a princípio. Uma viagem em busca do sentido da vida.



PS: Semana passada, como já devo ter comentado aqui ou não, fiquei sem Internet, o Quero Ler que havia pensado apenas possuía o Interligados na lista, hoje acabei decidindo pelos demais livros, aí dei aquela bela passeada pelo Skoob e montei a lista ;)

O Meme de um Mês: Dia 26 – Sua semana, em grande detalhe




Minha semana do dia 20 ao dia 26 de outubro


Fiquei sem Internet do início do dia 18 até o dia 22! 
Não é difícil imaginar que eu, dia 20, estava estressada por não ter Internet e não conseguir ler direito. Quando tinha 15 anos, lia dois livros por semana, atualmente, é um livro por mês e essa semana eu consegui terminar dois livros, o que fez com que me sentisse mais animada: A Cabana, que eu gostei com ressalvas e que futuramente, esperarei ler novamente e enxergá-lo com olhos mais maduros e sem dois pés atrás e o outro foi As Crônicas Marcianas, que amei e fiquei feliz por ler um livro tão bom como esse, RECOMENDO! 

Dia 22, minha conexão via lata (piadinha que repito desde que li Opúsculo) voltou e então voltei para o blog, Twitter, Tumblr e toda essa vida ilusória e que me faz companhia, por eu estar meio sozinha esses tempos, meus pais estão viajando e eu estou sozinha, não, não é legal ficar sozinha em casa como pensei que seria. mais do que antes, por isso passo muito tempo em frente ao computador e lendo pouco porque antes lia MUITO para ter a desculpa de sempre estar estudando, funciona comigo, até hoje. 
A desculpa que mais dei essa semana foi: ESTOU ESTUDANDO para a avó, tias, conhecidos. Sim, andei estudando esses dias, pouquinho, mas estudando. Faltando dias para o ENEM não querem que eu me jogue de cabeça nos livros para estudar o que não estudei, ou querem? :s

Meu fim de semana foi legal, apenas LEGAL! Obrigada, Larissa Andrade e João Lucas de Oliveira por tê-lo transformado em algo bom de se viver, além das outras pessoas, da Gabrielle Alves que encontrei, pela primeira vez, na badalação noturna da cidade. 
Do meu fim de semana restou-me uma dor de cabeça, resultado daquela pequena dose de caipirinha além dos arranhões nas pernas, aprendi algo: se falar que vai pular da ponte no rio, pule, não entre na água e agarre-se a escada do píer! Sem esquecer de citar areia nos bolsos de meu shorts e um livro que a Lari emprestou-me e que estou adorando. 
A frase do meu fim de semana foi: Se desejo escrever antes devo viver! 

Segunda-feira comentei ontem na postagem do meu dia, em grande detalhe e hoje, meu dia foi parecido com o anterior. 

Hoje, o dia acordou com muita chuva e vento, e chuva! 
Voltei mais cedo da escola, apenas tive as duas de aulas Filosofia, minha tia pagou a passagem minha e da Gabrielle Alves, ah, pela manhã, fui aos Correios, a carta da Andréia Pina com a nossa foto chegou :') Meu cartão do ENEM também, eba, além de uma carta da Receita Federal, tensão, como sou eficiente, resolvi esse perrengue antes mesmo da carta chegar! 
Minha Internet estava de mal comigo quando cheguei do colégio, após almoçar de verdade, fui arrumar meu quarto e meu guarda-roupa, quase duas horas dedicados a isso. Me cansei, deixando duas pilhas de roupa a serem guardadas e desde então, estou aqui, sentadinha, com  sono após tomar meu leite com Sustagem - oun\ -, baixar algumas músicas do Thiago Pethit, jantar bem, desistir de Dom Casmurro e ouvir T.Mills enquanto escrevo essa postagem, minha semana, se fosse entrar em detalhes não caberia aqui e será que eu estaria disposta a falar dela sem citar pessoa a pessoa? Seria indiscreto e eu já sou indiscreta demais 24 horas por dia e não quero passar isso para cá! 

Para mais informações sobre O Meme de um Mês, clique aqui. E para ver os outros dias, aqui.

26 de outubro de 2010

Vou Ler #4

Vinte mil Léguas Submarinas - Júlio Verne


Outro de Ficção Científica! Larissa Andrade emprestou-me domingo Vinte mil Léguas Submarinas,  esse clássico do Júlio Verne, lançado pela Editora FTD, que eu desejava ler há algum tempo; como estou lendo Dom Casmurro, li apenas o primeiro capítulo e fiquei com vontade de deixar de lado o livro do Machado de Assis que não me interessou tanto - e que minha professora de Português/Literatura disse detestar, para terminar o Vinte...


Beigos!

O Meme de um Mês: Dia 25 – O seu dia, em grande detalhe

Minha segunda-feira iniciou-se quando acordei às 09:07 da manhã, como tive um fim de semana agitado, diria cansativo, divertido, fora do normal, acordei cansada mesmo tendo dormido por 10 horas. 

Como sou uma pessoa sem vida social, as primeiras coisas que faço após acordar são olhar as horas no relógio de pulso que meu pai me deu mas não uso e ligar o computador, depois disso, vou ir escovar os dentes, comer, trocar o pijama, raramente arrumar a cama - como meus pais estão viajando, aproveito para deixar a cama (des)arrumada para meu retorno à noite. 
Meu cartão do ENEM ainda não chegou, hoje - se não me engano - é o último dia para chegar, estou desesperada, fui aos Correios e dei com ele FECHADO, fiquei irritadíssima porque estou esperando carta da Andréia Pina. Amanhã irei atrás das minhas correspondências.
Depois, voltei para casa e fiz a única coisa que sei: NADA. 
Há meses tenho essa rotina, como entrei oficialmente para o Clube do Nadismo - brincadeirinha! não faço nada, raramente leio durante o dia, apenas à noite quando deveria dormir, hábito errado que não consigo me livrar. 
Mas, para não entrar em detalhes, fui para o colégio, o ônibus passou bem atrasado - o que me deixou em dúvida: será que hoje terá mesmo aula? Queria que a resposta fosse : Sim, não terá aula! Porque hoje não estava interessada em estudar, queria ficar em casa todos os dias! Mesmo essa semana só tendo apenas aula amanhã e depois, os três dias da Semana da Cultura que não é tão cultural, haha, queria que a resposta fosse: Fica em casa, Maura, você merece!
Terei que ir prestigiar o evento, por obrigação. Esse ano espero não ter chuva, como ano passado, por favor, São Pedro! 
Voltei mais cedo para casa, odeio voltar mais cedo porque sou uma menina mão de vaca que fica muito triste por ficar gastando seu pouco dinheiro com um transporte público de péssima qualidade e ruim, mas, a professora de Geografia não veio e eu não estava no meu melhor dia, dores pelo corpo, no dente e banzo
Chegando em casa, novamente, computador e nada de terminar a lição de Sociologia, adoro adiar minhas obrigações educacionais. 
Falando das pessoas com que tive contato hoje, hoje minha classe estava calma, o que não fez diferença, aqueles seres problemáticos e infatilizados quando estão ligeiramente quietos é algo para se desconfiar. Falei, como sempre, com o João Lucas de Oliveira pelo MSN, pela manhã e noite (J, cadê as fotos da festa?) e com a Priscila Calixto e rapidamente com meu irmão. 
Hoje, realizou-se na casa da minha tia que é ao lado da minha, um culto da igreja de metade de minha família, como uso calça jeans, falo palavrão e sento errado nunca participo por ser bem clara: não vou nem às missas da Igreja Católica, irei no culto de vocês? Sou uma pessoa que ri durante esses tipos de celebrações por isso prefiro não frequentá-las, gosto de exercitar minha fé em casa porque aprendi algo: Deus é um ser onipresente, não sei o porquê de precisar ir à templos, santuários, igrejas se Ele está em todos os lugares, ouvindo-nos, enchendo-se com nós, reles humanos. E como sou a sobrinha mais errada da família, fui apenas para comer bolo e tomar refrigerante, receber beijinhos e benção das tias e tomar mais refrigerante. 
Pulando algumas partes do resto da minha noite, fiquei mais algumas horas e horas navegando pelos blogs, respondendo perguntas no Fomspring.me, curtindo páginas no Facebook ou atualizando meu Tumblr, além de escrevendo, sim, adoro escrever contos, raramente, crônicas, depois de meses sem escrever nada, hoje botei no papel os sentimentos de uma personagem contraditória que nem foi inspirada em mim. 
Escrevendo essa postagem som do disco Confessions On A Dance Floor da Madonna. 
Esse sendo um fim de noite, início de um novo dia parecido com esse, a única diferença sendo que hoje estou registrando em grande detalhe esse dia, 25 de outubro de 2010 que mesmo se parecendo com ontem não é, nunca será igual. Até mesmo na minha vida, diria, previsível, consigo fazer de cada dia, um dia. 

Para mais informações sobre O Meme de um Mês, clique aqui. E para ver os outros dias, aqui.