18 de abril de 2015

"Aqui não dá pra viver em paz/ Só que amor nunca é demais"

Da minha mania horrível de acordar e logo ligar o computador, às vezes descubro coisas interessantes, leio matérias que queria ler desde segunda-feira, faço aquela pesquisa antiga e também conheço uma MC sensacional.

Hoje conheci Lurdez da Luz, dona de voz e letras poderosas, como você pode conferir nesse trecho de "Levante":


Então irmão é só focar
Então irmão não pode parar
Tem que se adiantar
Em parelheiros ou paquetá
Advinha quem vem pra jantar?
Quando morrer vai aquetar
Por que agora é nois que tá, tá, tá
Não tem mais como duvidar
Do pará ao panamá
O treme terra vai animar
Virou e quem viver verá
Querer sempre e muito mais
Bom só ta assim pros demais
Fazer jus aos ancestrais
Seguir sem rivais
Somos únicos, porém iguais
Então pra que o leva e traz?
Não ta gostando de uma fita
Então não fala, faz
Aqui não dá pra viver em paz
Só que amor nunca é demais
Desejo longa vida a todos que são reais
Igual a mim tem um monte
Pronto pra linha de frente
Que enxerga o horizonte
Homem e mulher combatente
A levada é pra levante
A mensagem é pra levante
Se ta sentando então levante
Tamo além vamo adiante

Bate no peito com respeito (eu quero ver)
Bate no peito com respeito (tamos aê)
Bate no peito com respeito (eu quero ouvir)
Bate, bate, bate no peito com respeito
[...]

Ouvi seu EP de 2010, já vi dois clipes dela e posso dizer que gostei muito:



Pra completar, "ouvirei" nesse começo de tarde a apresentação de 2014 de Lurdez no Estúdio Showlivre: 



Um bom sábado (até suspirei aliviada ao saber que não era segunda, ainda) repleto de novas , e antigas, inspirações!
Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário ^^

Respondo todos (ou quase todos) os comentários nesse mesmo espaço.
E assim que possível, retribuo a visita em seu blog/site ou te pago um café na padaria mais próxima!
Marque a opção "Notifique-me" para saber quando seu comentário for respondido e não esqueça de deixar o link do seu blog/site para eu visitar depois!

Beijos,
Maura C. Parvatis!