25 de janeiro de 2015

TAG: Meus livros, ninguém sai!



Oi, pessoal! 
Vi essa TAG: Meus livros, ninguém sai! blog da Val e achei bem engraçada. Como não respondo TAGs há algum tempo, decidi registrar minhas respostas para ela nesse domingo, também conhecido como aniversário de Sampa!


"Ei coisinha, vá devagar"
Sabe aquele livro que você devorou rapidamente? Qual foi?
 Considerando a idade em que o li, Coração de Tinta da Cornelia Funke foi um das histórias que li mais rápido. A propósito, 2008 foi o ano em que devorei mais livros e todos têm algo em comum: mutas páginas e a maioria veio da biblioteca dos meus tempos de adolescente.
Há muito tempo Mo decidiu nunca mais ler um livro em voz alta. Sua filha Meggie é uma devoradora de histórias, mas apesar da insistência não consegue fazer com que o pai leia para ela na cama. Meggie jamais entendeu o motivo dessa recusa, até que um excêntrico visitante noturno finalmente vem revelar o segredo que explica a proibição.

"Eu vou me segurar aqui"
Qual livro te prendeu?
Angela Carter me fascina... Desejava ler esse livro, como os outros dela, há algum tempo e quando comecei a leitura desse, me via carregando esse livro para cima e para baixo, lendo e relendo os contos. 
[...]Há poucas fadas nessas páginas, e o leitor também terá dificuldades em encontrar príncipes encantados e caçadores que salvam o dia no último momento. Escritas numa época em que esse tipo de história não era destinado a crianças, as fábulas aqui contidas dão lugar a uma série de tias malévolas, esposas traiçoeiras, irmãs excêntricas e perigosas feiticeiras.Por terem sido registrados em papel pela primeira vez nos últimos duzentos ou trezentos anos, os contos oferecem - correndo por detrás da trama - um retrato do dia a dia no mundo pré-industrializado e um pouco das dinâmicas sociais e outros detalhes que com o tempo se perderam. Mais que isso, na tradição das histórias italianas reunidas por Italo Calvino em Fábulas italianas, esses contos de fadas oferecem um registro precioso de algumas matrizes que acabaram assimiladas pela literatura ocidental.


"Se eu cair eu quebro a minha clavícula"
Qual obra te desestabilizou emocionalmente?
Sem dúvidas e sem palavras para descrever o impacto que o livro-reportagem Holocausto Brasileiro causou em mim.
[...] a premiada jornalista Daniela Arbex resgata do esquecimento um dos capítulos mais macabros da nossa história: a barbárie e a desumanidade praticadas, durante a maior parte do século XX, no maior hospício do Brasil, conhecido por Colônia, situado na cidade mineira de Barbacena. Ao fazê-lo, a autora traz à luz um genocídio cometido, sistematicamente, pelo Estado brasileiro, com a conivência de médicos, funcionários e também da população, pois nenhuma violação dos direitos humanos mais básicos se sustenta por tanto tempo sem a omissão da sociedade.

"Meu óculos, ninguém sai!"
Qual livro você não empresta porque tem muito ciúmes?
Sério... Acho que, nesse momento, não tenho nenhum livro que não empresto por ciúmes! O que acontece é para quem eu vou emprestar, se eu conheço minimamente a pessoa e sei que ela não sabe cuidar dos objetos alheios, e principalmente livros alheios, não vou emprestar mesmo! Ah, se a pessoa devolver estragado, ela nunca mais verá eu emprestado nada para ela. Porém, como sou uma pessoa que sabe avaliar bem as situações, se... sem querer o livro caiu, machucou a lombada: perdoo, mas se o ser riscou o livro, amassou uma, cinco, vinte páginas, riscou!!! o livro... Ei, coisinha, assim, não!

"Juliana, você viu meu óculos"?
Qual livro você emprestou e nunca mais viu na vida?
O livro que até hoje reclamo ter emprestado e perdido foi Crepúsculo! Sim, o livor da Stephenie Meyer! Foi um livro bem caro, na época, e um dos primeiros que comprei com meu dinheiro. Mesmo tendo mudado e tendo consciência de que hoje eu já o teria doado para alguma biblioteca, é uma falta de noção enorme, pedir o livro de alguém e perdê-lo, independentemente de qual livro for... *sim, vou demorar para superar aqueles 40 reais perdidos*

"Juliana tá des-ma-i-a-da"
Qual livro te deixou com ressaca literária, sem poder ler outros livros?
Não foi necessariamente uma ressaca literária, mas sim... Uma vontade louca de ler outros livros do autor ou ler algo tão bom quanto Christine do Stephen King. A vontade passou e depois do meu primeiro contato com o autor, só fui lê-lo de novo ano passado... Esse ano quero lê-lo mais vezes.
Arnie Cunnigham era um perdedor. Rosto coberto de espinhas, desajeitado com as garotas, magro demais, passava os dias pelos corredores da escola, tentando fugir da gozação dos colegas. Isso até Christine entrar em sua vida. Amor à primeira vista. A partir desse dia, o mundo ganha novo sentido. Tudo o que Arnie quer é estar junto de Christine. Mas não se espere um novo Romeu e Julieta, tratando-se da mente assombrosa de Stephen King. Christine é um carro. Um Plymouth Fury 1958. Um feitiço sobre rodas que se apodera de Arnie e faz dele alguém diferente. Há algo poderosamente maligno solto pelas estradas de Libertyville. Uma força sobrenatural que vai deixando seu rastro de sangue por onde passa. Embarque nessa viagem assustadora e boa sorte.

"Chamuchamochamu chama o SAMU"
Que livro te deixou louco pela continuação?
Terminei "Sereia" ansiando por sua continuação, esta demorou a chegar e após a leitura de algumas resenhas, perdi a vontade de ler logo o segundo livro da trilogia escrita por Rayburn, talvez algum dia retorne para essa história.
Vanessa Sands, de 17 anos, tem medo de tudo – do escuro, de altura, do mar –, mas sua destemida irmã mais velha, Justine, está sempre por perto para guiá-la a cada desafio. Até que Justine vai mergulhar num precipício uma noite, perto da casa de veraneio da família em Winter Harbor, e seu corpo sem vida aparece na praia no dia seguinte.

"Eu errei, viu?"
Escreva aqui um pouco sobre aquele livro que você achou que seria uma coisa e foi outra:
Pensei que fosse ser uma história infantil boba, mas "Os três ladrões" foi uma boa surpresa por não óbvio. Terminei o livro com o pensamento: "Gente! Não era para ser assim... Mas... Peraí, que livro... Que ideia demais!" ^^
ser
A história criada pelo escritor Tomi Ungerer, nascido em Estrasburgo, na região da Alsácia, na França, e traduzida por Gian Calvi, narra, de forma simples e instigante, como três ladrões, bem profissionais, que se escondiam em uma caverna no alto de uma montanha, atacavam suas vítimas. 


Fonte das Sinopses: Skoob.

Até a próxima!
Beijos!

4 comentários:

  1. Adorei Maura!!
    Gosto muito dessas tags com memes, acho divertidas!
    Não sabia que esse livro da Angela Carter era bom, já vi em algumas promoções e sempre deixei pra lá. Na próxima vou pegar. E Holocausto Brasileiro é isso mesmo que você falou, desestabiliza muito!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Bem legal a tag e divertida, adorei as sugestões (não conhecia alguns livros que vc citou)

    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
  3. São bem divertidas mesmo, Tati :D
    Olha, vê se pega o livro da Carter, são contos bastante interessantes.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário ^^

Respondo todos (ou quase todos) os comentários nesse mesmo espaço.
E assim que possível, retribuo a visita em seu blog/site ou te pago um café na padaria mais próxima!
Marque a opção "Notifique-me" para saber quando seu comentário for respondido e não esqueça de deixar o link do seu blog/site para eu visitar depois!

Beijos,
Maura C. Parvatis!