1 de outubro de 2013

Os Natos: Volta ao Mundo Falando Português por Beto Junqueyra

Opa, espere aí... Hoje é quinta-feira, já? Não, não é, mas a vontade de postar essa tentativa de resenha foi maior e eu decidi adiantar e publicá-la já :)
*
*
Editora: Planeta Jovem
Autor: Beto Junqueyra
ISBN: 8574797006
Páginas: 224
Ano: 2003

Em Os Natos: Volta ao Mundo Falando Português, Beto Junqueyra nos leva junto com o grupo de amigos e alunos do Liceu dos Natos e seu diretor, Mestre numa aventura pelo planeta: uma volta ao mundo para provar que português é um idioma ainda muito falado. 
Mas esse não é o único intuito desses aventureiros...


É descoberta uma carta onde nada mais, nada menos que Luís Vaz de Camões, o autor d’Os Lusíadas, revela ter escondido um tesouro em algum território que já pertencera à coroa portuguesa. 
Encontrará esse tesouro aqueles que seguirem suas instruções/pistas espalhadas pelas terras e ilhas que faziam parte do imenso império português do século XVI.... O Liceu dos Natos e a escola liderada pelo megaempresário Jack Stress entram na gincana promovida pelo Ministério da Cultura brasileiro em busca desse tesouro. 

Quem conseguirá chegar primeiro ao tesouro camoniano: Os Natos comunicando-se em português ou Jack Stress usando seu novo idioma - criado por ele próprio - que afirma ser capaz de substituir a língua portuguesa?

O livro de Junqueyra é claramente voltado para o público infantojuvenil, através de linguagem bastante coloquial e um bom ritmo narrativo, jovens estudantes e adultos se simpatizarão com a obra e definitivamente entrarão dentro dela, pois, em determinado momento da trama um dos Natos adoece e precisa ser substituído...
E é nessa oportunidade que o leitor entra na história, sendo ele o “Agente E” que torna-se um Nato e ajuda a desvendar juntamente com o companheiros as pistas deixadas pelo poeta Luís de Camões, espalhadas em diversas cidades que foram colonizadas invadidas pelos portugueses e que fazem parte da comunidade lusófona, constituída por países como Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. 

O grande clímax da narrativa acontece quando Os Natos começam a perceber que as palavras ditas pela professora timorense Felícia durante um programa local de seu país era uma mensagem codificada - usando expressões típicas de cada país onde se fala português e que nos é estranha no Brasil - eles conseguem compreender o sentido dela e descobrir o por quê de Jack Stress, seus filhos e seu idioma ridículo conseguirem entrar nos territórios onde fala-se (ou falou-se) português e sempre conseguir as pistas antes d'Os Natos. 

A partir da aventura d’Os Natos seguindo as pistas deixadas por Camões em cada território que Portugal desbravou (deixando suas marcas culturais e linguísticas) o leitor perceberá a importância de nossa amada língua: a sétima mais falada no mundo, com mais de 200 milhões de falantes. 


Leitura recomendadíssima! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pelo comentário ^^

Respondo todos (ou quase todos) os comentários nesse mesmo espaço.
E assim que possível, retribuo a visita em seu blog/site ou te pago um café na padaria mais próxima!
Marque a opção "Notifique-me" para saber quando seu comentário for respondido e não esqueça de deixar o link do seu blog/site para eu visitar depois!

Beijos,
Maura C. Parvatis!