18 de março de 2013

Vou Assistir #1: Bovines, a real vida das vacas

Com dinâmica própria, “Bovines” é um novo olhar sobre as vacas.

Bovines, a real vida das vacas
O documentário “Bovines, a real vida das vacas” (França/2011) é o que podemos chamar de “reinvenção de gênero”. Sem trilha sonora musical e sem qualquer diálogo, o filme conta uma história cheia de simbolismos e carregada de filosofia e surpresa. Apenas acompanhando o dia a dia de um rebanho, o média-metragem conta, durante 60 minutos, uma história triste e emocionante.

O trabalho é do jovem diretor Emmanuel Gras, que curiosamente não é vegetariano. “Eu não sou vegetariano, mas eu gostaria que as pessoas vissem que as vacas, que são geralmente consideradas como animais estúpidos, têm sentimentos e sensações também.” – diz.

Gras mostra as vacas de um ângulo realmente novo, colocando-as como animais inteligentes e sensíveis. Os fazendeiros deixaram que ele acompanhasse as vacas porque eles também estavam curiosos para saber o que elas fazem quando estão sozinhas.

Emmanuel explica as dúvidas que o moveram a fazer este tocante filme: “O que elas fazem quando há uma tempestade? E quando o sol sai de novo? O que elas estão pensando enquanto ficam paradas, olhando para o espaço? Será que elas pensam?”.

As câmeras do diretor flagraram momentos incríveis como o nascimento de um novo membro da família e a reação dos outros animais quando percebem que um deles está sendo levado para o abate. Embora o documentário não acompanhe o animal no trajeto, o fim dele no matadouro é certo, e isso deixa os que ficam totalmente desconsolados.

Em “Bovines”, vemos um desfile de sensibilidade, carinho, amor e inteligência. Características nunca antes atribuídas às vacas em um longa do cinema.

Assista ao trailer | YouTube | Baixe o documentário (.avi / 560 MB)


Fonte: ViSta-se em 26.02.2013

Assim que fizer o download do documentário e assisti-lo, pretendo escrever minhas impressões sobre ele.
Um excelente início de semana para todos!
Beigos!

2 comentários:

  1. Eu gostei principalmente pela observação do diretor.
    Eu sou a favor do bem-estar animal e etc, e acho que isso é independente de você ser vegetariano/vegano ou ativista.

    Primeiro porque definitivamente não sou contra matar nenhum animal para comer/sobreviver, afinal sou bióloga e acho esse o ciclo natural. Acho errado sim o modo de criação capitalista que visa apenas o lucro e esquece sustentabilidade e respeito para com as demais formas de vida (que para mim merecem tanto respeito quanto qualquer vida humana, afinal eu sou um animal e a vaca também. Deixa eu me proteger da enxurrada de críticas agora).

    Eu fui vegetariana por anos (e não me tornei por anda relacionado ao bem estar animal, mas claro que me tornei mais próxima das causas quando isso ocorreu).

    Acho que a mudança de paradigma, que tornará as pessoas mais sensíveis às outras vidas não acontecerá subitamente, mas na minha opinião está avançando consideravelmente e bem. Basta observar as discussões, as mudanças de opiniões e novas práticas que tem surgido.

    Muita gente é contra a política de pequenas mudanças que mudam o mundo. Eu acho que são essas as que realmente são efetivas. Aquelas desprovidas de vandalismos e opiniões extremas (que só criam antipatias). Os diplomáticos, geralmente conseguem o que querem. Embora possa demorar mais, e uma prova é um vídeo como este. Que defende que as vacas tenham que ser respeitadas, mesmo que você um dia torne ela a sua fonte de vida.

    liliescreve.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, que comentário imenso e ótimo, gostei bastante de conhecer excelente opinião a respeito, Lili :D

      Excluir

Obrigada pelo comentário ^^

Respondo todos (ou quase todos) os comentários nesse mesmo espaço.
E assim que possível, retribuo a visita em seu blog/site ou te pago um café na padaria mais próxima!
Marque a opção "Notifique-me" para saber quando seu comentário for respondido e não esqueça de deixar o link do seu blog/site para eu visitar depois!

Beijos,
Maura C. Parvatis!