14 de março de 2013

Dia Nacional da Poesia

Ah, que dia lindo é hoje...
Sim, hoje é dia disso aí que 'ocê leu no título e também Dia do Vendedor de Livros! 
Para comemorar o dia verde e amarelo da poesia, decidi juntar o que de melhor li em homenagem a data de hoje e não comprar nenhum livro em homenagem aos vendedores de livros, desculpem-me, amigos.


Castro Alves - Fonte.
  • 14 de março é Dia Nacional da Poesia por que nessa mesma, só que, em 1847, nasceu um dos poetas mais importantes de nosso país, Castro Alves. Texto por Jussara de Barros - Brasil Escola
  • Dia Nacional da Poesia na Biblioteca de São Paulo | BSP: ''Para celebrar, leia uma pequena seleção de poemas dos principais autores nacionais falando sobre a arte de escrever versos''.
  • A Melissa Padilha do De Coisas por Aí nos trouxe Mario Quintana nesse dia tão especial com Os Poemas;
  • Biografia da belíssima Adélia Prado que descobri a pouco   e estou tendo meu primeiro contato com sua obra, com seu primogênito Bagagem (via Releituras). Destaque para esse trecho: ''Adélia costuma dizer que o cotidiano é a própria condição da literatura.  Morando na pequena Divinópolis, cidade com aproximadamente 200.000 habitantes, estão em sua prosa e em sua poesia temas recorrentes da vida de província, a moça que arruma a cozinha, a missa, um certo cheiro do mato, vizinhos, a gente de lá.
    "Alguns personagens de poemas são vazados de pessoas da minha cidade, mas espero estejam transvazados no poema, nimbados de realidade. É pretensioso? Mas a poesia não é a revelação do real? Eu só tenho o cotidiano e meu sentimento dele. Não sei de alguém que tenha mais. O cotidiano em Divinópolis é igual ao de Hong-Kong, só que vivido em português."'' 
  • Memória Viva de Carlos Drummond de Andrade, um dos meus poetas preferidos. No portal do Memória Viva é possível ouvir o próprio Drummond declamando seus poemas. 

E para comemorar esse dia em grande estilo, um dos meus poemas preferidos do Itabirano mais adorado do Brasil: 

♥ - Fonte.
Mundo Grande
Carlos Drummond de Andrade

Não, meu coração não é maior que o mundo.
É muito menor.
Nele não cabem nem as minhas dores.
Por isso gosto tanto de me contar.
Por isso me dispo,
por isso me grito,
por isso frequento os jornais, me exponho cruamente nas livrarias:
preciso de todos.

Sim, meu coração é muito pequeno.
Só agora vejo que nele não cabem os homens.
Os homens estão cá fora, estão na rua.
A rua é enorme. Maior, muito maior do que eu esperava.
Mas também a rua não cabe todos os homens.
A rua é menor que o mundo.
O mundo é grande.

Tu sabes como é grande o mundo.
Conheces os navios que levam petróleo e livros, carne e algodão.
Viste as diferentes cores dos homens,
as diferentes dores dos homens,
sabes como é difícil sofrer tudo isso, amontoar tudo isso
num só peito de homem… sem que ele estale.

Fecha os olhos e esquece.
Escuta a água nos vidros,
tão calma, não anuncia nada.
Entretanto escorre nas mãos,
tão calma! Vai inundando tudo…
Renascerão as cidades submersas?
Os homens submersos – voltarão?

Meu coração não sabe.
Estúpido, ridículo e frágil é meu coração.
Só agora descubro
como é triste ignorar certas coisas.
(Na solidão de indivíduo
desaprendi a linguagem
com que homens se comunicam.)

Outrora escutei os anjos,
as sonatas, os poemas, as confissões patéticas.
Nunca escutei voz de gente.
Em verdade sou muito pobre.

Outrora viajei
países imaginários, fáceis de habitar,
ilhas sem problemas, não obstante exaustivas e convocando ao suicídio.

Meus amigos foram às ilhas.
Ilhas perdem o homem.
Entretanto alguns se salvaram e
trouxeram a notícia
de que o mundo, o grande mundo está crescendo todos os dias,
entre o fogo e o amor.

Então, meu coração também pode crescer.
Entre o amor e o fogo,
entre a vida e o fogo,
meu coração cresce dez metros e explode.
– Ó vida futura! Nós te criaremos.


Beigos!
E muita poesia nesse dia e em 2013 :)

4 comentários:

  1. Oi Maura , que poesia linda !!
    essa eu não conhecia, mas é linda demais !
    Obrigada por linkar o blog aqui !
    beijão!
    Melissa Padilha
    decoisasporai.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melissa, Mundo Grande é LINDA DEMAIS! Uma das minhas preferidas do Drummond!

      Beigos

      Excluir
  2. Oi Maura, que delícia chegar aqui e encontrar a poesia de Drummond, meu poeta favorito depois de Castro Alves.
    Uma semana repleta de poesias para você.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Taís! Um ano repleto de poesias para todas nós *_*

      Excluir

Obrigada pelo comentário ^^

Respondo todos (ou quase todos) os comentários nesse mesmo espaço.
E assim que possível, retribuo a visita em seu blog/site ou te pago um café na padaria mais próxima!
Marque a opção "Notifique-me" para saber quando seu comentário for respondido e não esqueça de deixar o link do seu blog/site para eu visitar depois!

Beijos,
Maura C. Parvatis!