11 de outubro de 2012

Dia 11 - O que faz um grande escritor, eis a questão | O Meme Literário de um Mês 2012

Dia 11 – O que faz um grande escritor? O que faz um grande livro? Quais são as qualidades essenciais em ambos, em sua opinião, para que eles estejam entre os melhores?

Para a primeira pergunta: um bom livro. 
Mas, aí vem a segunda pergunta e eis a resposta: Um grande, bom livro se faz, primeiramente, de uma boa história, de um bom enredo, uma narração ímpar, personagens bem construídos, uma obra que seja atemporal, isso, em minha opinião, faz um grande livro: escrito em 1889 e que possa ser lido e compreendido, perfeitamente ou com ressalvas, em... 2012, 2015, 2020.
Mas, paremos com esse discurso, Maura.
As qualidades que são essenciais, em minha opinião maluca, para fazerem com que um livro fique entre os melhores são: além de uma boa escrita, uma mensagem que não envelheça com o passar dos séculos, uma coisa bem chata que percebo com o decorrer dos meus estudos - o.k, tentativa - em literatura é a aparente falta de sentido para mim, e para outras pessoas, em escritos, por exemplo, do Trovadorismo, em tudo que foi escrito, produzido naquele período ficou a marca daquele período histórico, ou seja, aquele estudo serve pouco, aquela leitura não tem graça, aqueles poetas trovadores passaram, mas... alguns nomes do Romantismo brasileiro me são mais agradáveis porque o que eles escreveram é ao mesmo tempo, uma representação da época em que foi escrito, mas me é tão, tão, tão atual em muitos aspectos, a mensagem reverbera muito bem atualmente. 
Então, acho que para um livro estar entre os melhores, um escritor se firmar como grande escritor além de qualidade de escrita, ele precisa escrever algo que possa ser lido hoje, amanhã, daqui a 10 anos, 20 anos... Infelizmente, a qualidade atual tem caído, de 100 livros publicados, uns 20 acredito que serão lembrados daqui algum tempo, outros cairão no esquecimento por não terem tido a qualidade literária ou uma mensagem melhor do que as modinhas literárias atuais.
Creio que fugi e muito da resposta, odeio discorrer sobre certos assuntos, sempre tenho a impressão de que falo, falo e ao final, nada falei. 

Beigos, 
inté amanhã!

2 comentários:

  1. Mas menina, você falou tudo. Grande parte dos livros que vemos nas livrarias hoje é descartável, esquecível. só serve para distrair. Isso tem acontecido também nas outras formas de arte. Imagino que no futuro historiadores descreverão o período de 1970 à 2012 como anos perdidos, culturalmente falando.
    Maura, um ótimo fim de semana para você.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Taís, ri muito com esse comentário!
    Sim, sim, os historiadores lembrarão de nossa época - infelizmente - como ''anos perdidos'', sem grande importância salvo por raras exceções :(

    Beigos!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário ^^

Respondo todos (ou quase todos) os comentários nesse mesmo espaço.
E assim que possível, retribuo a visita em seu blog/site ou te pago um café na padaria mais próxima!
Marque a opção "Notifique-me" para saber quando seu comentário for respondido e não esqueça de deixar o link do seu blog/site para eu visitar depois!

Beijos,
Maura C. Parvatis!