22 de outubro de 2010

As Crônicas Marcianas por Ray Bradbury


Título: As Crônicas Marcianas
Autor: Ray Bradbury 
Editora: Globo 
As Crônicas Marcianas descrevem a chegada e posterior conquista de Marte pelos colonos terráqueos. Bradbury lançou os contos em separado desde 1942, em forma de pulps. Ao reuni-los nas Crônicas Marcianas, ele faz uma crítica ao grande medo da época (década de 50), a Guerra Nuclear, críticando também as forças políticas antagônicas da época, em plena Guerra Fria. 

Finalmente inaugurarei as resenhas do blog! *fogos de artifícios, por favor -n* Decidi estrear essa coluna com esse clássico da ficção científica, um ótimo retorno aos sci-fi que eu havia abandonado ao cair de cabeça em romances sobrenaturais. 
Eu não sou uma expert em resenhas escritas, fiz pouquíssimas durante minha vida toda, e então, eu sinto que elas - raramente - soam sinceras. 
Para começar, cito um trecho, que no todo é ótimo, do prefácio de Donizete Galvão: ''É ficção científica de melhor qualidade. Há mocinhos, vilões, aventureiros e vilões. Uns podem ser tudo isso ao mesmo tempo. É ler para crer.''
E eu li e eu fiquei muito feliz por ter ganhado um livro tão bom em anos. Obrigada, Larissa Andrade. 
Não é nenhum lançamento. As Crônicas possuem 55 anos, ou seja, foram lançadas em 55 - ah vá!, o que fez com que eu me perguntasse em inúmeros momentos da leitura: Será que o Ray (Bradbury), adorei tanto o livro e seu autor que passei a tratá-lo pelo primeiro nome, como se o conhecesse há anos imaginava que em 1999 os homens já estariam realizando missões tripuladas à Marte quando a Lua ainda era um sonho distante e que só seria desbravada em 69, isso é o que dizem, e que nos anos seguintes após a colonização ao planeta vermelho as famílias possuiriam seus próprios foguetes domésticos? Me simpatizei com o Ray por imaginar que sim, talvez ele tenha imaginado isso e que quando, explodíssemos a Terra fugiríamos para Marte e lá iriamos reconstruir  tudo de novo de novo de uma maneira diferente ou não. 
Não é um livro futurístico, esperava inovações tecnológicas fantásticas, Marte ou Tyrr - como é chamado por seus habitantes originais é um lugar fantástico e difícil de se criar nessa minha cabeça de vento. Uma dificuldade minha , outra, foi imaginar 2005 como um ano super futurista, já que o vivi, lembro-me bem como era 2005, então em minha imaginação, a Terra de cinco anos atrás se parecia com a da década de 50. E em Flutuando no Espaço, tudo me levava a imaginar 1955! 55 não saía da minha imaginação. 
A leitura é tensa, com muitos toques de absurdo e de, sim, sarcasmo. É de tirar o fôlego em diversos momentos e para gargalhar em outros tantos. 
Senti medo, raiva, aversão aos marcianos, os detestei no primeiro, segundo momento e quando estes são dizimados após as sucessivas missões colonizadoras, me senti muito vazia: Os humanos conseguiram, de novo. Acabaram com algo talentoso e belo e que nenhum de nós foi capaz de compreender...  Com exceção de Spender, oh, Spender! Esse humano, vale muito a pena conhecer e compreender bem! 
As personagens são interessantes: Ylla, York (que merecia ter tido mais espaço mas que valeu a pena sonhar com ele), o capitão Wilder, entre outros e é claro, os marcianos. 
Citar um conto dentre todos não é uma missão impossível, mas o fim foi um fim que... eu fico até sem palavras para descrevê-lo. Fantástico, talvez? 
Eu AMEI As Crônicas Marcianas, isso é o mais sincero que eu posso escrever. AMAR um livro, sabe, sentir falta dele nos dias após o término da leitura, a saudade de sentir seus dedos virando as páginas - Parabéns a Editora Globo, se todas as editoras usassem o papel de excelente qualidade que ela usou nessa edição, eu seria muito mais feliz!

Espero que tenham gostado, não sei escrever resenhas, sempre fica essa coisa, falou tudo mas não falou nada,  com a prática, eu irei melhorá-las ou não. 

PS: Postagem especial para a Priscila Calixto, feliz aniversário, Pri, queria estar aí em Sampa para abraçá-la. E para o João Lucas de Oliveira :D

Beigos! 

Um comentário:

  1. UGHSAUDHUASHDUnada! VC resenhou (assim q se fala?) bem!!
    OUUUUWNNNNNNNNN um post dedicado a mim!! *---*, CARA não durmo hj!! USAHDYAGSDYAGD
    A Maurinha,caramba esse livro parece ser massa,eu adoro coisas assim,tambem como fantasia,tudo que foge da realidade chata nossa.
    até Bjos M!!!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário ^^

Respondo todos (ou quase todos) os comentários nesse mesmo espaço.
E assim que possível, retribuo a visita em seu blog/site ou te pago um café na padaria mais próxima!
Marque a opção "Notifique-me" para saber quando seu comentário for respondido e não esqueça de deixar o link do seu blog/site para eu visitar depois!

Beijos,
Maura C. Parvatis!